O homem Grauballe

2,000 anos

devido às condições únicas no pântano de turfa, o corpo foi excepcionalmente bem preservado, mesmo depois de ser depositado no pântano por mais de 2.000 anos. Por exemplo, você ainda pode ver as unhas dos dedos, as unhas dos pés e os cabelos no corpo.

o homem Grauballe foi, e ainda é, o corpo de pântano de turfa mais bem preservado já encontrado na Dinamarca.

o homem de Grauballe viveu na Idade do ferro

para arqueólogos e historiadores, a descoberta do Homem de Grauballe tem sido excepcionalmente importante. Usando a tecnologia moderna para examinar o corpo bem preservado do pântano de turfa, um número quase infinito de detalhes sobre a Idade do ferro foi descoberto. Foi durante essa idade que o homem Grauballe viveu e morreu no pântano de turfa. Sem essa descoberta única, esse conhecimento pode nunca ter sido adquirido.

a cama do Homem Grauballe

de pé cara a cara com o homem Grauballe ao visitar o Museu Moesgaard é uma experiência muito especial e comovente. Em um quarto pequeno e escuro, ele foi colocado, com cuidado e delicadeza, em um caso de exposição onde ele pode ser visto de todos os lados. Nesta sala você tem uma sensação bastante notável de como deve ser estar em um pântano de turfa.

Veja toda a exposição

você pode ver toda a exposição sobre o homem Grauballe e os tempos em que ele viveu, no Museu Moesgaard, onde oferecem várias teorias sobre por que esse homem terminou sua vida em um pântano ao sul de Aarhus.

#moesgaardmuseum #grauballemanden #visitaarhus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.